Carta aberta à população

A grave situação econômica que vivenciamos hoje, a nível nacional, estadual e municipal, vastamente divulgada pela imprensa de todo o país, atinge impiedosamente o setor da Saúde e afetou diretamente as finanças do HRDV, com diversas perdas de recursos e aumento de demanda.

Considerando a enorme defasagem dos valores da Tabela SUS, que não é revista há décadas; a suspensão, pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, do Programa de Apoio aos Hospitais do Interior (PAHI), em 2015 (causando uma redução de receita anual na ordem de R$ 1.865.074,08) e a suspensão dos pagamentos do recurso extra-teto do serviço de oncologia, que desde dezembro de 2015 não são realizados pelo Governo do Estado e já somam um total devido de R$ 733.862,90, nos vimos numa situação que clamava por medidas rápidas, que pudessem estancar parte do sangramento em nossas contas.

Tais perdas, somadas ao prejuízo acumulado no setor de pronto socorro, atingem um deficit total mensal superior a R$ 700.000,00, com o agravante de que ainda registramos aumento da demanda espontânea em nosso pronto socorro proveniente de municípios fora de nossa micro região, principalmente oriundos de Itaboraí, que não são pactuados com o hospital.

Além disso, nosso setor de obstetrícia está sobrecarregado pela demanda crescente de gestantes vindas de outros municípios, inclusive em situação de risco, elevando a necessidade de realização de partos cesáreos e de alto risco, sem que tenhamos condições de atendimento ao recém-nato, pela falta de estrutura neonatal. E esse fator afeta fortemente nossa capacidade de cumprimento de metas estabelecidas pelo SUS para a clínica obstétrica, que acumulou um prejuízo de R$ 345.788,15 até o mês de abril de 2016.

Considerando que o citado aumento da demanda excede a nossa capacidade física e de recursos humanos, sem que a tenhamos condições de realizar adequação da referida estrutura e tendo em vista a drástica redução das receitas vindas do sistema público, informamos que desde o dia 01/06/2016, SUSPENDEMOS a realização de curativos no Pronto Socorro e RESTRINGIMOS o pronto atendimento aos casos de URGÊNCIA e EMERGÊNCIA, conforme avaliação da classificação de risco: VERMELHO (atendimento imediato), AMARELO (urgente) e VERDE (pouco urgente). Os pacientes classificados com a cor AZUL (não urgente) serão encaminhados pelo médico plantonista ao ATENDIMENTO AMBULATORIAL, conforme sua necessidade, em seu município de origem.

Tais medidas foram tomadas junto a diversas outras ações administrativas visando a redução de custos e a fim de fazer frente a redução substancial de recursos públicos. Desta forma, buscamos a sobrevivência do HRDV, que está prestes a completar 74 anos de existência e sempre foi referência em saúde para toda a região, funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana, evitando a todo custo o fechamento das portas como tem ocorrido com outras unidades de saúde no Estado do Rio de Janeiro.

Certos de que venceremos mais essa batalha, contamos com a compreensão de todos os usuários dos nossos serviços, que podem contribuir com doações. Para saber mais sobre o que cada um pode doar, consulte a lista clicando aqui.

Rio Bonito, 15 de junho de 2016.


Silvino Antonio das Flores
Presidente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *